sábado, 14 de agosto de 2010

Redondos e Pontiagudos

Nascemos pontiagudos
Sim, os bebes são pontiagudos
Não ligam para opiniao de nínguém
Choram dentro da igreja
Batem na cara e também sorriem pra quem merece

Vamos crescendo e sendo lapidados
Nossas quinas vão sendo retiradas pelo esmeril
Dos "nãos" que a gente recebe do medo que nos ensinam
Dos padrões e receitas de felicidades

Umas pontas os pais retiram dolorosamente
"Menina abaixa essa saia"
"Menino que coisa feia" (Só por que o pingulim ficou duro e nem ele sabe por que")
"Fala baixo" "Não pode" "Isso é feio"
E tantos outros "Bichos-papões" que inventaram para nós
E que provavelmente vamos passar para nossos filhos

Vamos perdendo as pontas de criatividade por que
Ouvimos falar que arte não dá dinheiro
Perdemos a ponta da amizade por que ja não se confia no outro
Vamos perdendo a ponta da originalidade por que não queremos chamar atenção


A uma coisa boa em ficar redondo
Não há barreiras, pode-se mudar de time a cada estação
Ou virar "Emo" por que sua amiga virou
Ou gay por que o carinha da novela...

Quem ja se arredondou ou foi arredondado
Vai para qualquer canto
Não espeta ninguém, não discute, não contesta
Ser pontiagudo é doloroso
As pessoas não aceitam um novo ritmo
Uma opção religiosa
Os redondos se reconhecem
Rolam por onde o rio da vida os leva
Já não nadam
E tudo que não se usa atrofia

Sim é mais fácil um pontiagudo ficar redondo
Do que o contrário
Mas sabe de uma coisa
Há nisso tudo uma grande verdade
a gente só tenta ser feliz

Um comentário:

  1. adorei !!
    deixar de lado o senso comum e preservar algumas pontas pode formar indivíduos mais interessantes!
    é isso que sentimos falta !
    parabéns !

    ResponderExcluir

Comentem, perguntem, elogiem, critiquem, mas sejam verdadeiros...