terça-feira, 7 de setembro de 2010

Quando

Errei quando não te dei aquela rosa
Quando queria ter solidão

E dos planos que ficaram no papel
Da luz que só serviu pra fazer sombra
Eu tenho saudade

Daquilo que habitava sem eu sentir
Da vontade de viajar pra te ver
Da tatuagem que não ficou
Do perfume que eu descobri
E do medo de não conseguir te fazer a mulher
mais feliz do mundo.

E isso que não sei o que é, não me atrapalha
não levo como bagagem,  perco nas curvas,
por que as lágrimas não são doces
nem as nuvens de algodão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, perguntem, elogiem, critiquem, mas sejam verdadeiros...