domingo, 14 de novembro de 2010

Segunda Chance

Eu luto por que causa?
Qual é minha missão?
Os monólogos deviam começar assim

Sem máscaras, falsos ideais...
Qualquer um pode acordar um dia
e se sentir um lixo, uma pessoa podre,
e uma das palavras que acho forte é, podre.

Não adianta beleza se você for podre por dentro,
Se eu tenho a real confiança de me olhar no espelho e
Num gesto de humildade admitir quando erro, sou capaz
Também de arrancar as raízes e não só aparar as pontas
De falsidade ,egoísmo, mediocridade.

Todo mundo pode estar numa multidão
E se misturar, mas basta que eles saibam que você
já matou, usou drogas, que você pensa coisas do inferno
Para que se afastem.

È assim e nem eu nem você vai conseguir mudar nada
Ja é tarde, e sei que vai demorar muito até você parar
E assistir ao filme da sua própria vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, perguntem, elogiem, critiquem, mas sejam verdadeiros...