terça-feira, 20 de novembro de 2012

Dois


Estamos na era da informação!
Por que tanta alienação?
Sabemos de tudo seu moço!
Sim... o que acontece no japão... Qual nome do seu vizinho?
Ah, não me pergunta isso, Não! Trabalho o dia inteiro!
Sim de Janeiro a Janeiro!
Sim! Você vê a minha luta!
Vejo sua luta, e não vejo um sorriso, ta perdendo a batalha?
Não, que isso! Não vê que eu tô rico? Já viu meu carro novo?
Sim, aquele caro que passa na televisão...
Então, essa é minha felicidade, realização!
Essa amontoado de ferro com rodas, sem coração?
Ah! Eu trabalho tanto, mereço!
Eh estranho você pensar, que tudo tem preço!
Eu não sou esse tipo de pessoa! Faço até doação!
Sim você doa dinheiro! E tem doado atenção?
Ah, quando tenho tempo, vou até na igreja, faço oração!
Você ja viu quantos dedos tem na palma da sua mão?
Você ta mudando de assunto, ta achando que não sei não?
Pra contar os seus amigos, basta apenas uma mão!
Se engana, tenho muitos amigos, não vê isso não?
Vejo, aquele bando de puxa-saco, parecem carrapatos...
 Você é antigo, fracassado, não entende!
Ainda bem que não entendo...

domingo, 11 de novembro de 2012

É de quem?

Abri o portão e ela foi entrando
Não tinha dono, um bebê vira-lata legítimo!

O que fazer? Colocar pra fora?
Fingir que não era comigo?

Ela está no momento em que escrevo, debaixo da minha cama
Perto de uns bagulhos que guardo lá

Ja se alimentou bebeu água e agora descança
Protegida e em paz

Não é responsabilidade minha,
mas de quem é?