quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Castelo de Cartas

Por que tudo que é belo é tão frágil?
As coisas boas tem perfume
As coisas ruins nascem podres

Por que tudo que é belo é tão frágil?

Um sorriso que nasce tão tímido...
os olhos procuram se esconder,
olham pro chão, e então dizemos pra nós mesmos:
- Vou rir baixo... Vergonha?

E essas pequenas luzes...
pequenas velas, adoro vê-las
pena não resistirem ao vento

Castelos de cartas...
Por que tudo que é belo é tão frágil?

sexta-feira, 15 de março de 2013

Rádio Relógio


                                      Eu acordei nada tinha mudado
                                     o mesmo silêncio ,o radio ligado
                                        Eu acordei nada tinha mudado
                                             o mesmo silêncio

quinta-feira, 14 de março de 2013

Hoje e sempre

Hoje eu abracei uma vaca,
de quatro patas!
Senti uma paz, em sua mansidão
Naquele ruminar...

Tudo bem, ela pisou no meu pé Três Vezes!
Mas tenho certeza que foi sem querer!

Mais tarde toquei um violão, tentei compor...

As terças menores, as quintas Justas, ás vezes injustas...

Um pouco mais tarde, fui dar uma volta
Fui "malhar" nos aparelhos da "melhor Idade"
Tinha crianças na praça, um monte de risada...

Tem tanta coisa boa no mundo, ainda...
Tenho gosto de viver, de conversar com gente
que identifica coisas boas no mundo, e me ajudam a ver...

Essas pessoas estão raras!
São aquelas que perdem tempo,
olhando joaninhas passeando em sua mão,
Que dão "bom dia" aos cachorros da rua,
enfim pra quem vive a poesia,
mesmo sem saber da métrica...

 Quero ser um só.
O mesmo. Sem ter que me adaptar tanto,
quero contar reticulócitos cantando uma canção,
não quero sólido nem gasoso, quero fusão,
sem confusão. Quero poesia, música, bicho,
beijo, abacaxi, riso e violão, me acompanha?

"Vão"! Então! Não será em vão...

quarta-feira, 13 de março de 2013

Gotas na Janela

Gotas na Janela

Eu lembro que no dia chovia,
Chovia mas eu não me lembrava,
naquela época que podia,
lembrar de um tempo que amava.
Amava e eu não percebia
que o tempo passava.
E na correria
em que eu estava,
a gente se quer ia,
se quer olhava...
Eu sei que devia
mas será que precisava?
Eu não tinha a melodia
Algo sempre me faltava!
E cada vez dia após dia,
eu me deseperava.
Não por que a saudade batia.
Nem era por que eu gostava...
De muita coisa naquele tempo, eu não sabia
Ih, eu nem imaginava,
que a saudade muito doia,
que essa dor dilacerava.
A chuva vinha, eu crescia,
a luz me iluminava...
Eu sabia que uma hora isso acabaria,
como eu me acabava.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Sinais de loucura

E assim vou percebendo que estou ficando louco.
Quando deixo de achar algumas coisas "normais"...


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Subliminar

Daqui a pouco melhora,
um pouco depois do começo.
Depois de quebrar o gelo.
Um sorriso discreto, segredo.

Um dia comum,
como um dia qualquer,
simplesmente viver,
um notável qualquer.

 Você lê,
o que busca?
A melhora depois do começo?
Espera eu quebrar o gelo?
Quer me ver sorrir?
Quer que eu te conte um segredo?

Talvez seja mesmo,
um dia comum,
como um outro qualquer,
mas e amanhã?

Você vai me responder?
Ou me perguntar?
Já são tantas perguntas,
entende?

Eu imagino que não.
o agora.
Você pode dormir,
a porta ja está fechada,
feche a janela, clique no "X".


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

A Cidade

Aqui parece uma cidade dos sonhos,
nínguém joga lixo no chão,
todos amam os animais,
todos se interessam por política,
todos compartilham,

Os religiosos são os mais fiéis e bondosos,
os ateus os mais justos e caridosos,
Ninguém é racista, são contra homofobia,
todos se compadecem dos irmãos africanos...
e seus chinelos de garrafa pet...
Somos bombardeados de conselhos,
palavras sábias, passagens bíblicas,
frases de pensadores...

Você pode pensar:
Ah! Onde fica essa cidade?
Essa Cidade é Falsa!

Eu te diria:
Não meu amigo! Não é falsa, é "Feice".
(entendeu a "piada"? "Feice"... "Feicebuqui"...)

Lá tenho um monte de amigo!
Todos com suas fotos sorridentes,
e um lado tão agradável, que gosto mais
até de mim mesmo quando olho meu perfil!
Minhas mazelas não ultrapassam o portão "Log In"

Sobre isso tudo você já sabe.
Sabe que quase nada lá é real, que
as pessoas lá são como queriam ser na vida
real, mas não tem jeito a gente acaba se iludindo...
 Eu me iludo, sem vergonha nenhuma de admitir.

Não me tranco no quarto e esqueço do mundo mas,
perco um tempo razoável lá,
não é de todo ruim, é divertido, concordemos.
Mas aerobicamente falando,
aquele mundo é totalmente descartável!
Sim por que meus "Dois" "Três" amigos
são os que batem aqui em casa, me acordam
me veem com remela nos olhos, me chamam
pra fazer um som, que são carinhosos com Nonoca!
 Esse mundo sim é real.

Ás vezes visito essa cidade onde tudo é perfeito,
esperando boas notícias, surpresas etc...
Um otimismo infundado, e quando todavia alguma coisa incrível
acontece lá, ela não é incrível pra sobreviver ao portão do "log out"

 Então é assim, sabe onde eu moro?
Sabe meu telefone?
Não? Então não sou tão importante pra você,
e provavelmente você também nem seja tão especial pra mim,
pra merecer o "status" de amigo.

Não vou esperar que nada mude por lá.
até por que vou viajar um pouco,
ir pra outros cantos, ver  o que eu gosto,
ir ver a praça do bairro,
quem sabe a gente se encontre lá, numa nova dimensão,
você verá que eu sou mais alto e magro do que parece,
e tão legal ou chato quanto você permitir que eu seja.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Açaí

Que energia me dá
A fruta, o carinho é o fruto

A atenção, de graça,  a graça.



Um gesto, um abraço
não fique longe,
Venha ser mais que antes,
de alguma forma, seja!

Ah! Sair?
Sempre quando dizemos sim pra algo,
estamos dizendo não pra outras coisas,
é preciso medir,
Mas não deixe de me dar,
o abraço nos fins de tarde,
ou no começo do dia,
tanto faz, como faz, mas faça!

Vou sentar na minha cadeira
olhar a rua, e tomar meu açaí,
Olhar,
lembrar,
voar,
sem "gripar"... Ando forte!

Estarei aqui perto e longe
meio amor meio "monge",
meio completo e ás vezes só meio.