sábado, 20 de setembro de 2014

Vago

Tenho chorado,
um choro que só eu escuto.
o mundo se cala
e minha dor me acorda.
Os olhos perdidos no chão,
não buscam mais horizontes.
Sobrevivo.
Sinto cada batida do meu coração;
bate dentro do peito
como se quisesse sair,
sente o espaço do meu corpo, pequeno...
Deixo pra chorar à noite.
De dia coloco uma máscara,
um sorriso que combine com a camiseta...
Ah como meu mundo ficou pequeno!
Distraio-me ao som de uma viola caipira
Seu pontilhado faz cócegas no meu coração
Por um instante ele sorri...
Não traduzam “Saudade”...
Não definam esse sentimento!
Dar-lhe um nome já foi suficiente!
Recordar causa-me imensa tristeza,
pelo que podia ter sido e não foi,
pelo que se foi e não volta mais...
Choro, toda noite!
Um choro que só eu escuto.
Preciso secar meu olhos,
sem secar o coração.
Sei que um dia isso tudo irá passar
De uma forma ou de outra...
Vou indo como posso
um passo de cada vez,
Em sonhos eu te visito,
entro no seu quarto,
procuro sua cama,
dou-lhe um beijo de boa noite.
Aos que morrem isso é permitido!
Vagar...
Sim, vago...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, perguntem, elogiem, critiquem, mas sejam verdadeiros...