terça-feira, 21 de outubro de 2014

A cor normal dos dias

Fui passear comigo outro dia
Levei-me para ver lugares que costumava ir com ela
Não estavamos mais lá...
O lugar era bonito
Mas não havia a beleza de nossos corpos no gramado
O silêncio de uma goiabeira e uma casa abandonada
Sinto-me frágil e irracional quando choro
Sinto toda minha incapacidade de reconstruir coisas
Os dias vão passando e vou conhecendo o normal!
a cor natural dos dias
Parecem tão desbotados sem ela
ficaram fotos, uma caixinha com cartas, um broche e um pirulito
Se sobrou é por que não falta
Se ela não sente minha falta
deve ser por que lhe sobra dela mesma
Transborda de si mesma
Eu , vazio do que não tenho
ainda sim transbordo,
transbordo novas certezas, e faíscas de novos sonhos!
Sonhos agora menores, não por que eu não saiba sonhar grande
Mas o momento agora permite apenas que eu realize sonhos breves
E faz com que cada abraço seja uma entrega real e verdadeira
Roubando de mim um pouco dessa falta que às vezes transborda
Sou expectador, sou refém sou figurante de uma história que não escolhi viver
Paro e me pergunto: - o que faço aqui visitando meu passado?
Deixei o personagem principal no presente, sentado esperando seu novo papel
suas novas falas, gestos e histórias!
O normal da vida não tem tanta cor
Mas logo os olhos se acostumam
Eu sei que posso colorir meu próprio mundo,
com giz de cera, posso errar, colorir fora do traço,
se eu não gostar, refaço!
o que eu não tenho me falta
e o que me falta ás vezes transborda...
Sai pelos olhos, e atormenta-me ouvir sua risada...
quando na verdade sei que só habitam na casa eu e o silêncio
A cor que hoje me falta
ficará pra sempre perdida,
pois era na mistura que tais cores nasciam
eu não me entrego, prefiro as cinzas
do que viver cores de mentira
cores que alegram mas que no fundo satirizam
riem do meu sonho de amar
O normal pode ser cinza
isso não mais me abala
Pegue suas cores e ponha verdade na sua caminhada

domingo, 19 de outubro de 2014

RIO

Eu consegui ver o outro lado do rio,
mas ,não estou mais na sua margem...

sábado, 11 de outubro de 2014

Ser um novo Ser

mais de três anos sem fazer uma oração
viver numa eterna espera
pedi a Deus um novo coração
clamor de forma sincera

não quero de volta o que perdi
é o preço que eu pago
quero apenas ver o que não vi
um caminho iluminado

conhecer e sentir a força do perdão
a água doce bebida na fonte
ter humildade, joelhos no chão
não ser um ser que se esconde



quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Acontece

Nos ensinam sobre sucesso e fracasso
Sobre vencer e perder
Diferenciam cruelmente macho e fêmea

Estão todos perdidos
Em copos de cerveja
Atolados em livros

Os risos capturados por celulares
as meninas de cabelo liso
e mentes enroladas

A busca pelo que não se conhece
cada vez mais distante do centro
a batalha de cada dia

um escudo ao que o outro diz
uma espada empunhada
pra contra-atacar com uma verdade pronta

Um mundo maquiado e podre
que ilude até pessoas maravilindas,
se perdem nessas "indas e vindas"

querem estar juntas e sozinhas
presas e libertas
querem o que está na moda querer

Emoção é coisa de gente fraca
de gente que não tem objetivo
ultrapassado, romântico, ridículo

se o homem chora, ele não serve
é frouxo, inseguro
mas se explode não serve, estúpido

qual sua nota?
foi pior do que eu?
Alá! Sou Melhor! Se fudeu!

Sou trocado por celulares à todo momento
e não entendo a indignação!
de quando troco as pessoas por "pau e corda" , violão.

Recebo cumprimentos sem entusiasmo
abraços frouxos
e sorrisos murchos

Mas todos pregam que estão felizes
-To na correria!
Tão corrido que não vê a vida passar...

queremos a balada, a noite!
ser vistos onde pessoas supostamente se divertem
pra onde na verdade seguem?

Amizade? Em qual site eu compro?
Conselho? Ainda não tenho esse aplicativo!
Abraço? Credo que carência!

Quase tudo que eu acreditava se desfez
nem me lembro a última vez
que eu acreditei em mim

Sou forte! Sigo só!
Independência ou pó?
E quando os que te apoiam forem embora?

As pessoas querem que você faça
Aquilo que não seria bom pra elas
te vêm de longe, debruçados na janela

Entenda,
de coisas vazias
já estou cheio...







terça-feira, 7 de outubro de 2014

Solrriso

Meu coração ainda alagado

Nuvens cinzas de lembranças ainda cobrem o céu

De repente surge o sorriso dela brilhante como o sol

Vento! Por favor! Venta,Venta,Venta!

Que a gente inventa um novo modo de amar...



sábado, 4 de outubro de 2014

Barriga

Tem gente que faz a barriga da gente doer de tanto chorar...

Tem gente que faz a barriga da gente doer de tanto dar risada...






Deixa doer!
Escolho sorrir!