segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Dor



Cansei de viver paixões.
Da anestesia dos sorrisos.
Meus olhos se cansaram das cores.
Cansei dos abismos que construí
e das celas que me abriguei

Cansei das coisas fartas
cansei de manter a ordem
Nadar contra corrente
cansei de ser forte

Do doce me cansei
dos sabores nem sei
sei que cansei
de dizer que sei e nem saber

Quero uma dor crua
Amarga e fria
Uma dor verdadeira
dor de uma noite
ou de vida inteira

Quero dor que seja minha
Não dor que seja sua
Dor nossa não serve
Não quero dor que seja leve

E a dor que nasce do desejo
possa curar outras dores.
muito irá morrer
para que o que sobrar
seja verdadeiramente
Vivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, perguntem, elogiem, critiquem, mas sejam verdadeiros...