quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Lindinha

Quem é aquela menina
Que usa chinelo e meia
Dos olhin brilhante
que minha razão intermeia
a tal moça namora?
Percebo que é a hora
cupido me acertou na ameia








Beijo de maracujá doce
moça me abraçou forte
cheiro dela mais da noite
solidão seguiu seu norte
beijava o sorriso dela
meu peito abriu janela
destino semeia sorte   



A menina, Juliana
de gesto simples  sincero
tocou meu rosto com um beijo
perdi meu olhar severo
espera silenciosa
abriu-se em cheiro de rosa
vida antiga encero













borboleta de asa azul
No giro que me tonteia
contou-me história nova
em noite de lua cheia
amor trazido da mata
alegria que se resgata
amor que nos alumeia





Riso e brincadeira
quando ela faz mixoxo
depois abre o sorriso
meu bem mais precioso
canto dela canto meu
poesia apareceu
mistura de branco e roxo
















            Sei da vida muito pouco
                           um eterno aprendiz
                                        abraços a cada dia
                                               e ouço a voz que me diz
                                                             de mãos dadas com ela
                                                                                 a vida tem aquarela
                                                                                                       a gente segue feliz




Um comentário:

Comentem, perguntem, elogiem, critiquem, mas sejam verdadeiros...